LUTA NOSSA DE CADA DIA

Exposição de Silvana Macêdo

Curadoria: Juliana Crispe

Luta nossa de cada dia exposição de Silvana Macêdo, é um mergulho no cotidiano de mulheres mães. A lida diária é uma luta entre tantas demandas internas e externas, que colocam muitas vezes as mulheres num turbilhão. O trabalho não pago da reprodução e maternagem que é a base da produção capitalista, é todo os dias invisibilizado e desvalorizado. Nesta luta de cada dia as mulheres resistem. Cuidam da vida no cerne da máquina mortífera e voraz do atual neoliberalismo que assola o mundo.

Das ditas tarefas insignificantes do dia a dia, repetitivos gestos diários que envolvem o cuidado materno, emergiu uma poesia modesta, uma hipersensibilidade aos pequenos sons e quase imperceptíveis ocorrências, ao evidenciar o espaço íntimo, em negociações constantes entre as necessidades pessoais e profissionais, com o tempo e o cuidado dedicados às crianças.

Para além de potencializar essas relações de caráter mais intimista, o trabalho nos provoca a observar a experiência de maternar enquanto ato social e enquanto luta. Podemos perceber que muitas mulheres conseguem criar seu próprio jeito de ser mãe desfazendo muitas amarras reminiscentes de uma ideologia patriarcal, que insiste em reproduzir arcaicas e limitantes relações de gênero historicamente construídas. Ideologias que por séculos ditaram as normas, oprimiram, desqualificaram e domesticaram a vida de mulheres-mães, de acordo com interesses masculinos. Ao romper com modelos pré-estabelecidos, as mães contemporâneas expressam corajosamente sua subjetividade materna, demonstrando que ela pode ser vivida de forma empoderada e enriquecedora, mas também transparecem as múltiplas camadas e esgotamentos da maternidade. Como ato político, o trabalho de Silvana Macêdo se alinha com o de outras mulheres mães que refletem, flexionam e questionam seus papéis na contemporaneidade.

 

Juliana Crispe 

Ju.jpg

J.C. e L. , ano 2014

fotografia

20140617_1387.jpg

S. e A., ano 2014

fotografia

20140617_1420.jpg

S. e A., ano 2014

fotografia

IMG_2087.jpg

B. M. e C., ano 2014

fotografia

20130204_0277.JPG
20130204_0278.JPG
20131009_4745.jpg

S. e C. E., ano 2014

fotografia e colagem digital

dudu1.jpg

C. E., ano 2014

fotografia digital

dudu7.jpg

C. E., ano 2014

fotografia digital

dudu3.jpg
dudu4.jpg

C. E., ano 2014

fotografia digital

20160806_5025.jpg
20160806_4985.jpg
ana.jpg

A. e M., ano 2016

fotografia digital

20140316_8135.jpg
20140316_8125.jpg

S., ano 2014

fotografia digital

20140606_9625.jpg
20140606_9682.jpg
20140606_9858.jpg
20140606_9876.jpg

A. e L., ano 2014

fotografia digital

20160710_4656.jpg
20160710_4570.jpg

I e K.., ano 2017

fotografia digital

nacasa2.jpg

No silêncio do coração, 2015

Instalação com luz, carrinho de bebê e alecrim

Sobre a artista:

Silvana Macêdo nasceu em Goiânia em plena ditadura militar, 1966, é mãe do Carlos Eduardo, professora e artista visual, tudo junto e ao mesmo tempo. Estuda e pratica feminismos em sua vida e trabalho artístico /acadêmico. Tornou-se mãe aos 40 anos e desde então vem descobrindo a experiência de maternar em suas múltiplas e antes inimagináveis dimensões.

Essa exposição faz parte do evento MULHER ARTISTA RESISTE – 2ª edição

 

LUTA NOSSA DE CADA DIA

Artista: Silvana Macêdo

Curadoria: Juliana Crispe

Produção Cultural das exposições em Artes Visuais: Lorena Galery

 

Realização: Espaço Cultural Armazém - Coletivo Elza

Coordenação Geral: Gika Voigt, Juliana Crispe e Virgína Vianna

Organização Coletiva e curadoria compartilhada: Grupo de Trabalho MULHER ARTISTA RESISTE

Apoio: Abrasabarca, Coletivo Compor, Gandaia Films, Mulamba, Potlach Editora e Grupo Articulações Poéticas

Produção: Gika Voigt Produz

Vinheta: Gandaia Films (com música da banda Mulamba)

Equipe técnica: Gika Voigt e Marianella Colucci

Equipe de comunicação: Gika Voigt, Juliana Ben, Juliana Crispe, Lorena Galery, Marianella Colucci  e Virgína Vianna